Depoimentos

Vagno de S. Fernandes

Arquitetura e Urbanismo

Brasil

Aprendi que o ser humano, às vezes, tem a necessidade de matar o que ama para só depois amar realmente.

Sempre tive reclamações como quase todo brasileiro acerca do meu país. Mas, tive um choque quando me vi hospedando um espanhol, estudante de arquitetura e urbanismo, assim com eu, que começou a ver o Brasil como terreno para trabalhar com melhorias e não críticas. À medida que as semanas passavam, nunca antes pude ver com olhos tão abertos o país em que morava. Desde as favelas, às áreas onde ficam as pessoas em situação de rua, problemas urbanos em geral até mesmo as coisas boas que  passam desapercebidas como cultura, diversidade de alimentos, água, sol e paz étnica.

Temos a tendência a observar somente as coisas ruins, mas com os olhos de quem não é daqui, pude aos poucos limpando o que nos contraria e passei a ver no meu país um lugar de possibilidades. Além disso na convivência diária a troca foi recíproca. Mostrei para ele nosso estilo de vida, nossa alegria, nossa despreocupação ao ver Madagascar, Carros ou Wall-E e não preocupar somente se isso vai trazer algo de intelectual ou prático para quem se predispõe; ver por ver e se divertir com isso. Foi interessante durante a despedida eu escutar: “Obrigado por vocês terem me feito uma pessoa mais humana”.

Podem ter certeza que também aprendi a ser mais humano e ser mais brasileiro também.

Ps.: A foto foi tirada num lugar chamado Espetinho, um videokê em Santa Cecilia (rs). No mínimo foi engraçado o 1º dia do Andreu no Brasil. Isso depois de quase bater o carro voltando do aeroporto pois não consigo dirigir e falar espanhol ao mesmo tempo e levar 3h00 para chegar pois me perdi no meio do caminho, cheguei a pegar estrada para o Rio, pagar pedágio e achar que a volta para São Paulo estava muito bonita para ser verdade....

Veja Também: