Depoimentos

Maurício Ribeiro Secchi

Arquitetura

Montenegro

1 mês e meio

No ano passado me inscrevi para o programa, e como não possuia pontos, eu tive de ficar com as vagas remanescentes. Os locais que ainda restavam eram Israel, China, Espanha, Sérvia e um tal de país chamado Montengro. Já havia decidido que não deixaria passar a chance em 2008 e iria viajar, pois em 2007 eu também havia me inscrito, e iria para a Romênia, mas meus pais não me deixaram, por medo e desconhecimento. Porém, eu não poderia prejudicar minha faculdade, então eu deveria escolher uma oferta que fosse durante minahs férias de inverno (Julho e começo de Agosto). Então, das vagas, restaram apenas Espanha e... Montenegro!

A vaga da Espanha era muito tentadora, além do país ser um local incrível para estudantes de arquitetura ir visitar, mas já havia quatro pessoas na minha frente que queriam essa vaga, então, descartei, e tive que ficar com a pequena e desconhecida Montenegro! Como tenho a mente bem aberta a coisas novas e até desejava um lugar mais incomum, nada melhor que Crna Gora! (Montenegro, em sérvio, língua do país)
O estágio durou um mês e meio, numa empresa de construção civil na capital Podgorica. Foi um trabalho bem leve e eu tinha os conhecimentos que precisavam. Porém me senti muito pouco "usado". Só havia duas pessoas que entendiam inglês na companhia e eles pareciam não estar esperando me receber. Porém, todos da companhia me trataram muitíssimo bem, e tive momentos muito legais lá. E também, como era uma época com pouco trabalho, eu conseguia várias folgas, ou saía mais cedo do trabalho.
Eu ficava em um albergue-república, onde havia outros estudantes, da Grécia, Portugal, Finlândia, Líbano, Áustria, Polônia, Bélgica, Tunísia e Noruega, que participavam do programa, com os quais fizemos muitas festas e viagens, e que se tornaram grandes amigos. Essa é a melhor experiência que se tira de um programa desses, simplesmente insubstituível e única.
Os gastos por lá são muito parecidos com aqui, mesmo sendo a moeda deles o Euro. A língua é muito diferente, mais rústica e, talvez agressiva, mas tem um charme que te faz querer aprendê-la. A comida é bastante calórica e mais pesada - com bastante sustança como dizem os mais antigos por aqui. Também, é preciso muitas calorias para poder sustentar um povo grande e alto como os Eslavos são: todos altos, e mulheres que parecem todas modelos pela esbeltez e estilo, todas sempre bem cuidadas. E sobre o povo, muito simpático e hospitaleiro, gostam muito de receber estrangeiros.
O país, tão pequeno, com menos de 700 mil habitantes, possui paisagens de tirar o fôlego, como as belas praias banhadas pelo mar Adriático na costa sudeste, ruínas de todas as civilizações que já passaram por lá e as montanhas geladas do norte, que deram o nome ao país.
Bem, depois de tudo isso, eu deveria ter voltado para casa, para continuar um novo semestre que começava, porém, depois de conhecer tanta gente e fazendo amigos de uma vida inteira, fiquei apenas mais dois meses e meio na Europa, visitando meus camaradas e conhecendo outras paragens pela Croácia, Itália, Irlanda, Espanha e Grécia.
Pra resumir, a melhor esperiência da minha vida, e o que desejo que todos possam experimentar um dia.

Veja Também: