Depoimentos

Felipe Almeida

Geologia - USP

Espanha

16/07/2018 - 14/09/2018

"Sempre sonhei em viver na Espanha. Depois de estudar em um colégio espanhol durante toda minha adolescência, visitei o país em algumas oportunidades e desenvolvi grande admiração pela cultura e estilo de vida dos espanhóis, que sabem que a vida deve ser apreciada e aproveitada. Conseguir um estágio na Diputación de Alicante foi a realização de um grande sonho.
 
A Espanha é muito parecida com o Brasil em diversos aspectos, seja pela religião, seja pela cultura festiva, seja pelo clima. Possui mais festivais do que dias no ano, atraindo milhares de pessoas não só às grandes cidades como também aos pequenos pueblos. Tive a oportunidade de participar do mais famoso deles, em Buñol, indo a La Tomatina, a maior guerra de comida do mundo, onde 150 toneladas de tomate são maltratados durante 1h, em uma das experiências mais loucas e incríveis que já vivi.
 
Na Espanha, costuma-se repetir com orgulho que o espanhol "trabalha para viver, e não o contrário". A comida traduz o modo de vida: desista de ir à farmácia às 3 da tarde. O horário entre as 14h e as 17h está reservado para seus longos almoços seguidos pela famosa siesta, paralisando completamente o comércio. As tapas, por sua vez, não são apenas porçõezinhas gostosas: como eles tem o hábito de jantar muito tarde, petiscam durante a merienda, uma refeição extra que costumam fazer por volta das 19h. Por fim, as festas noturnas só começam de verdade por volta da 1 da manhã, sendo que a melhor balada de Alicante só abria às 3h30!
 
A vida na ensolarada Alicante me proporcionou grandes felicidades, onde descobri uma província riquíssima em cultura e belezas naturais. Desfrutei a Costa Blanca de norte a sul, visitando maravilhosas calas escondidas por entre mais de 200 km de sierras no litoral; o pueblo de Altea, que esconde uma pequena Grécia em suas estreitas ruelas; as surreais lagunas rosas das Salinas de Torrevieja; as cavernas esculpidas pelo mar nas falésias entre Jávea e Dénia; os buceos no mar cristalino de Calpe aos pés do imponente Peñon d'Ifach; além de infinitos miradores que se descobria a cada curva nas estradas.
 
Por fim, o trabalho desenvolvido no estágio superou as minhas expectativas. Tratou-se da gestão regional dos recursos hídricos da província, feito de maneira extremamente minuciosa em razão de Alicante estar situada na bacia hidrográfica mais seca da Europa - profissionais do mundo inteiro vinham estudar as tecnologias de gestão utilizadas pela Dipu! Isso inclui sensores de monitoramento de todos os aquíferos e reservatórios da províncias, atualizando um sistema big data a cada 30 segundos, além da constante comunicação com os alcades dos pequenos pueblos, que sofriam com a constante falta d'água.
 
Sou muito grato à IAESTE por oferecer essa oportunidade aos estudantes, e espero que o meu depoimento possa inspirar futuros candidatos a participarem e divulgarem essa iniciativa única."

Veja Também: